Abordagem do Tantra

Os iniciados do Tantra acreditam que é possível alcançar a libertação, ou iluminação, mesmo nas piores condições morais e sociais. 

Eles também acreditam, todavia, que os meios tradicionais delineados ou revelados em eras anteriores do mundo não são mais úteis ou ótimos, pois eram meios destinados a pessoas de energia moral e espiritual muito maior, que viviam num meio ambiente mais pacífico e útil para o crescimento interior. A era atual tem incontáveis obstáculos que tornam o amadurecimento extremamente difícil. Portanto, são necessárias medidas mais drásticas: a metodologia tântrica.

Os Mestres tântricos, no começo da era comum, perceberam que a era necessitava de técnicas especialmente poderosas para transpor a letargia, a resistência e o apego a relacionamentos convencionais e coisas mundanas, bem como para lidar com a falta de compreensão. 

Olhando os meios disponíveis, transmitidos dos mestres aos discípulos ao longo de incontáveis gerações, eles admitiram que estes exigiam uma pureza e nobreza de caráter que as pessoas da era atual não possuem mais. Para ajudar a humanidade na Kali-yuga, os iniciados no Tantra  seguem essa percepção: "Tudo passa, ou, pelo menos, quase tudo".

Essa função do Tantra foi denominada "antinomianismo", que, como palavra derivada do grego sugere, consiste em IR CONTRA (anti) as normas aceitas ou LEIS (nomos).
Os textos tântricos usam palavras como PRATILOMAN (contra o grão) e PARAVRITTI (inversão) para descrever seus ensinamentos.

Tantra Budismo - Padma Sherab siddha Vajra - Instrutora do Tantra Yoga crt 1711 - (11) 3562-8945 e 99134-7623 - Jardim Paulista - São Paulo - Capital - Brasil
direitos autorais


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A arte de Injacular - Chi Kung

Kundaliní e o Bindu

Pompoar Masculino